Com tecnologia do Blogger.

Sheffield United 1-2 Arsenal - Ficha de Jogo



O Arsenal vai até Wembley para defrontar as meias-finais! Os Gunners derrotaram ao inicio da tarde deste domingo o Sheffield United por 1-2 e garantiram o seu lugar nos quatro melhores da Taça de Inglaterra. O jogo foi tudo menos fácil, especialmente na segunda parte, mas os golos de Nicolas Pépé e Dani Ceballos valeram a qualificação.


Arsenal: Martínez, Mustafi, Luíz, Tierney, Maitland-Niles, Xhaka, Willock, Kolasinac, Pépé, Lacazette, Saka
Subs: Macey, Bellerín, Sokratis, Holding, Smith, Ceballos, Nelson, Nketiah, Aubameyang

Sheffield United: Henderson, Basham, Egan, Robinson, Baldock, Norwood, Stevens, Lundstram, Fleck, McBurnie, McGoldrick
Subs: Moore, Jagielka, Berge, K. Freeman, Osborn, L. Freeman, Mousset, Sharp, Zivkovic


Conforme esperado, e sendo jogo da taça, Mikel Arteta realizou algumas alterações no onze titular. Não esperávamos era que fossem tantas. No onze titular tivemos o regresso de David Luíz depois de ter cumprido dois jogos de castigo, Maitland-Niles voltou a ter uma oportunidade, Willock foi recompensado pelo golo em Southampton e Lacazette entrou para Nketiah descansar.

O jogo começou com um susto enorme para o Arsenal. Ainda antes dos dez minutos de jogo, depois de um pontapé-de-canto longo, McBurnie cabeceia para o interior da pequena área e Lundstram mete a bola no fundo da baliza do Arsenal. No entanto o VAR detetou o inglês em fora de jogo e anulou o golo da equipa da casa.

Aos 13 minutos o Sheffield volta a levar perigo à baliza de Martínez. Lançamento longo de Robinson para as alturas de McBurnie, mas o avançado dos Blades não conseguiu desviar para a baliza.

Aos 23 minutos o Arsenal ganha uma grande penalidade. Lacazette sofreu uma entrada bastante dura de Basham e o árbitro Paul Tierney não teve duvidas em apontar para a marca de grande penalidade. Nicolas Pépé assumiu a responsabilidade de converter o castigo máximo e não desperdiçou. 0-1 no marcador e o Arsenal na frente da eliminatória.


O golo trouxe alguma confiança ao Arsenal e cinco minutos depois Nicolas Pépé volta a ficar perto de marcar. Lacazette fez um passe mesmo à medida do pé esquerdo do costa-marfinense e de primeira, fora da área, Pépé obriga Henderson a uma excelente intervenção.

Oportunidades de golo já só em cima dos 45 minutos. Primeiro para o Arsenal depois de um remate de de Maitland-Niles, de angulo apertado, para defesa incompleta de Henderson, surge Tierney de fora da área atirar ao lado da baliza do Sheffield.

Na resposta o Sheffield, por intermédio de Norwood, com um remate fora da área testou a atenção de Martínez.

Na última jogada digna de registo na primeira parte foi Pépé – o melhor em campo no primeiro tempo – a receber um excelente passe já dentro da área de Kieran Tierney mas o remate de pé esquerdo não saiu com a melhor direção.

O Arsenal liderava ao intervalo, num resultado que poderia ser um pouco injusto para a equipa da casa tendo em conta a forma como entraram no jogo.

Para o segundo tempo o Sheffield veio à procura de mudanças no marcador. Por isso assumiu o controlo do jogo e começou a chegar com perigo à área do Arsenal. O primeiro lance de perigo surgiu aos 50 minutos, com Norwood a tirar um cruzamento tenso para a área, onde já aparecia Berge e Martínez a ter de subir para sacudir.

Cinco minutos depois um lance que não é comum no futebol mas que causou um calafrio enorme para as hostes do Arsenal. Henderson, guarda-redes do Sheffield, faz um remate de baliza à baliza e a bola passa muito perto do travessão de Martínez.

Aos 58 minutos o Sheffield volta a colocar a bola na baliza do Arsenal pela segunda vez no jogo. Mas pela segunda vez o VAR volta a intervir e anula o golo dos Blades, novamente por fora-de-jogo. As oportunidades sucediam-se na área do Arsenal e logo a seguir é Chris Basham a falhar a baliza com um cabeceamento junto ao poste.

Tanta oportunidade teria de dar em golo para a equipa da casa mas este só surgiu a três minutos dos 90. Mais um lançamento longo para a área, Holding falha o tempo de salta, Kolasinac faz um corte defeituoso contra Mustafi e surge McGoldrick a atirar para o fundo da baliza sem dar qualquer hipótese de defesa a Martínez. Um tremendo balde de água fria para o Arsenal, mas que na realidade, estava à vista de toda a gente que ia acontecer.


No entanto, naquele que foi o único lance de ataque de registo do Arsenal no segundo tempo, os Gunners fazem o 1-2 no marcador já em tempo de compensação. Ceballos, que havia entrado aos 67 minutos para o lugar de Joe Willock, aproveita a bola que foi mal cortada sobre Pépé e de frente para Henderson finaliza de forma fria e dá a passagem ao Arsenal para as meias-finais da Taça de Inglaterra.


Os Gunners conseguiram assim a segunda vitória consecutiva fora – algo que não acontecia desde Maio de 2019! O jogo fica marcado ainda pela lesão de David Luiz, teve de ser substituído por Rob Holding e ficou sentado no banco de suplentes com gelo no joelho.

Sem comentários