Com tecnologia do Blogger.

Arsenal 1-2 Olympiacos - Ficha de Jogo



Noite terrível para o Arsenal. Os Gunners foram eliminados precocemente da Liga Europa pelo Olympiacos e complicam ainda mais a vida para conseguirem marcar presença na Liga dos Campeões da próxima temporada.


Arsenal: Leno, Bellerín, Mustafi, Luiz, Saka, Ceballos, Xhaka, Aubameyang, Özil, Pépé, Lacazette
Subs: Martínez, Sokratis, Maitland-Niles, Torreira, Willock, Guendouzi, Martinelli

Olympiacos: Sá, Elabdellaoui, Ba, Cissé, Tsimikas, Valbuena, Guilherme, Camara, Bouchalakis, El Arabi, Randjelovic
Subs: Gaspar, Torosidis, Papadopoulos, Masouras, Lovera, Bullari, Karargyris


Mikel Arteta não facilitou e lançou um onze bastante forte para a recepção aos gregos do Olympiacos. A nossa equipa vinha de uma vitória por 0-1 na Grécia e o treinador espanhol do Arsenal não quis facilitar e não correr riscos nesta eliminatória.

Mas quem esperava um grande jogo tendo em conta o onze lançado não podia estar mais enganado. A primeira parte foi jogada de forma lenta, apesar do domínio do Arsenal, e sem grandes oportunidades.

A primeira surgiu aos 12 minutos. Depois de um remate interceptado a Granit Xhaka, Mesut Özil serviu Nicolas Pépé na direita mas o remate do costa-marfinense à baliza foi bloqueado por um defesa adversário.

Aos 22 minutos livre perigoso a favorecer o Arsenal depois de uma falta dura de Ba sobre Pépé. O próprio costa-marfinense bateu o livre mas a bola passou ligeiramente ao lado da baliza defendida pelo português José Sá.

A única oportunidade do Olympiacos na primeira parte surgiu a 10 minutos do intervalo. Contra-ataque rápido conduzido por Mady Camara na esquerda, mas o remate não saiu como pretendido ao jogador do Olympiacos e a bola falhou o alvo.

Ainda na primeira parte, aos 39 minutos, o Arsenal até marcou golo mas foi invalidado pelo árbitro assistente. Saka estava fora-de-jogo quando recebeu a bola e depois cruzou para Lacazette que desviou para o fundo da baliza. Boa decisão da equipa de arbitragem.

O nulo ao intervalo penalizava ambas as equipas pelo fraco futebol apresentado. Arteta não estava nada satisfeito com a prestação da equipa e saiu bastante chateado para os balneários.

A segunda parte começou da pior forma possível para o Arsenal. Com 53 minutos de jogo o Olympiacos chega ao golo através de um pontapé-de-canto. Valbuena bateu a bola para o interior da área e Cissé aparece de cabeça a mandar um míssil para o fundo da baliza. Estava inaugurado o marcador e a eliminatória empatada.


Três minutos depois o Olympiacos fica perto de aumentar a vantagem. Tsimikas fez o meio-campo defensivo do Arsenal todo em corrida e fez um grande remate fora da área obrigando Bernd Leno a uma fantástica defesa.

O Arsenal procurou acordar para o jogo e começou a dominar. Com uma hora de jogo decorrida a primeira oportunidade do segundo tempo para os Gunners. Remate de Pépé fora-da-área mas a bola a passar ao lado da baliza de José Sá.

Aos 76 minutos novamente Nicolas Pépé em destaque. Boa jogada do costa-marfinense dentro da área e faz um remate forte obrigando José Sá a uma defesa para a frente. Lacazette infelizmente não conseguiu chegar a tempo da recarga e permitiu o corte da defesa grega.

Últimos dez minutos e mais dois lances de destaque para o Arsenal. Primeiro por Lacazette, num remate por cima da área e depois Lucas Torreira, num remate fora da área, a rematar à figura do guarda-redes do Olympiacos.

O árbitro apitava para o final dos 90 minutos e tínhamos prolongamento no Emirates Stadium. E foi no prolongamento que vieram a maioria das emoções.

O tempo-extra de 30 minutos trouxe uma dor de cabeça acrescida para Mikel Arteta. Aos 103 minutos Shkodran Mustafi ficou agarrado à coxa e teve de ser substituído por Sokratis.

Um minuto depois da lesão de Mustafi surge a primeira oportunidade dos gregos para chegar ao segundo golo. No entanto o remate de Gaspar sai por cima da baliza. O maior perigo foi no entanto aos 108 minutos quando Masouras atirou à barra da baliza de Leno.

Aos 113 minutos o Emirates salta de alegria com o golaço de Aubameyang. Mesut Özil cruza para a entrada da pequena-área, Martinelli cabeceia a bola para o lado e Aubameyang num grande remate acrobático faz o golo do Arsenal, que voltava a colocar a nossa equipa na frente da eliminatória.


No entanto, a um minuto dos 120 cai o balde de água gelada no estádio: o Olympiacos chegava ao 1-2 e matava a eliminatória. Novo pontapé-de-canto para a equipa grega, o Arsenal não consegue cortar o lance em condições e permite o cruzamento para o interior da área, onde uma falha clamorosa da defesa do Arsenal permite o desvio de El Arabi para golo.


Por incrível que pareça, já depois da hora, o Arsenal podia ter vencido a eliminatória. Aubameyang, que antes tinha feito um golo sensacional teve agora uma falha clamorosa. Grande cruzamento de Özil para a área, a bola tabela entre jogadores do Olympiacos e Aubameyang de frente para a baliza falha o alvo de uma forma inacreditável que é caso impossível de descrever.

O Arsenal fica assim de fora do que resta da Liga Europa e sofre um enorme revés naquilo que era o objectivo de chegar à Liga dos Campeões e conquistar um troféu europeu. No entanto a equipa não deve baixar os braços pois ainda há uma FA Cup para conquistar e vários lugares para subir na tabela da Premier League.

Sem comentários