Com tecnologia do Blogger.

Chelsea 4-1 Arsenal - Ficha de Jogo



Resultado: Chelsea 4-1 Arsenal
Competição: UEFA Europa League
Data: 29 Maio 2019
Estádio: Olímpico de Baku (Azerbaijão)


LINE UPS

Arsenal: Cech, Sokratis, Koscielny, Monreal (🔽66'), Maitland-Niles, Torreira (🔽67'), Xhaka, Kolasinac, Özil (🔽77'), Lacazette, Aubameyang
Subs: Leno, Iliev, Jenkinson, Mustafi, Lichtsteiner, Saka, Iwobi (🔼67'), Elneny, Guendouzi (🔼66'), Willock (🔼77'), Welbeck, Nketiah

Chelsea: Kepa, Azpilicueta, Christensen, Luiz, Emerson, Kanté, Jorginho, Kovacic (🔽76'), Pedro (🔽71'), Hazard (🔽89'), Giroud
Subs: Caballero, Cumming, Zapacosta (🔼89'), Alonso, Ampadu, Cahill, Gallagher, McEachran, Barkley (🔼76'), Willian (🔼71'), Higuaín


MATCH REPORT

Este seria, provavelmente, o jogo mais importante da história recente do Arsenal desde a final europeia perdida em 2006 para o Barcelona em Saint-Denis, Paris. Os Gunners demoraram 13 anos a regressar a uma grande final e passavam 25 anos desde a última conquista internacional: a velhinha Taça dos Vencedores das Taças em 1994.

Unai Emery não teve dúvidas em colocar a equipa mais forte, com a excepção e dúvida para a baliza. Petr Cech realizou o seu último jogo da carreira, mas muitos preferiam ver Bernd Leno na baliza do Arsenal. Ainda assim a opção do treinador espanhol caiu no guarda-redes checo e não foi por aí que o Arsenal perdeu o encontro.

O primeiro tempo revelou-se equilibrado embora o Chelsea estivesse superior a nível estatístico, com mais posse de bola e remates à baliza. No entanto o Arsenal foi o primeiro a criar perigo no jogo por Lacazette e talvez tenha ficado uma grande penalidade por assinalar a favor dos Gunners aos 17 minutos, depois do avançado francês ter sido derrubado pelo guarda-redes dos Blues na área. Pouco depois Xhaka enviou um balázio à baliza de Kepa, mas a bola passou por cima, batendo ainda no travessão.

A grande oportunidade do Chelsea no primeiro tempo surgiu por Giroud, quando o avançado rematou cruzado rasteiro e obrigou Cech a defender com uma palmada e de forma apertada, evitando assim o primeiro golo adversário.

Por isso ao intervalo o empate era um resultado justo para ambas as equipas.

No segundo tempo as coisas foram completamente diferentes. Vimos um Chelsea a pressionar muito mais à procura do golo, enquanto um Arsenal adormecido e com muitas dificuldades em sair a jogar. E isso serviu para que os Blues chegassem ao golo logo aos 49 minutos por Giroud. Cruzamento na esquerda de Emerson e o avançado francês consegue-se antecipar a Koscielny e desvia de cabeça para o fundo da baliza do Arsenal.

O Chelsea chegou ao 2-0 através de Pedro Rodríguez. Bola perdida ainda no meio-campo defensivo do Arsenal por Maitland-Niles, com o Chelsea a aproveitar para construir mais um jogada de perigo que terminou com o médio espanhol a rematar sozinho na área. Foram 15 minutos que deitaram tudo a perder para os Gunners.

O 3-0 surge 5 minutos depois através de uma grande penalidade convertida por Hazard. Giroud, muito mais inteligente que o lateral inglês, esperou pelo contacto nas costas para cair e o árbitro não teve dúvidas em assinalar o castigo máximo. Hazard chamado para converter não vacilou.

O golo do Arsenal surgiu aos 69 minutos por Alex Iwobi, que entretanto tinha entrado no jogo para o lugar de Lucas Torreira. Num fraco alivio da defesa do Chelsea, o nigeriano rematou de primeira fora da área fazendo um bom golo, mas que nunca serviu sequer para recolocar os Gunners em luta pelo resultado.

A melhor prova que o golo do Arsenal foi apenas de consolação ficou à mostra com o golo do Chelsea três minutos depois que estabeleceu o resultado final em 4-1. Perda de bola de Aubameyang, defesa do Arsenal aos papéis e Hazard a bisar no jogo.

Com ainda cerca de 20 minutos para jogar, tememos que o resultado fosse ainda ficar pior e passássemos de uma derrota europeia para uma vergonha europeia, mas o resultado não se alterou mais, embora o Chelsea tenha tido ainda mais oportunidades.


PLAYER RATINGS

Petr Cech: 6
Jogo de despedida inglório. Ainda fez um punhado de boas defesas mas não teve hipóteses nos golos sofridos.

Sokratis Papastathopoulos: 5
Foi, se calhar, o melhor defesa da noite, mas não quer dizer que tenha estado bem. Ninguém na defesa esteve bem!

Laurent Koscielny: 4
Conhecedor de Giroud como é pelos tempos do Arsenal e da seleção francesa, falhou à grande na marcação do compatriota que deu o primeiro golo do Chelsea.

Nacho Monreal: 4
Jogo fraco, acabando substituído por Guendouzi. A idade provavelmente já pesa e tendo em conta a sua situação contratual e a necessidade de reforços para a defesa, terá feito o último jogo com a camisola do Arsenal.

Ainsley Maitland-Niles: 5
Esteve até bem na primeira parte, mas a segunda foi para esquecer. Para além da perda de bola que deu origem ao primeiro golo do Chelsea, foi ainda muito ingénuo no lance que deu a grande penalidade a favor dos Blues. Volta depressa Bellerín!

Lucas Torreira: 5
Não esteve mal em campo até ser substituído, mas muito longe do Torreira pitbull que já vimos ao longo da época.

Granit Xhaka: 5
Não fez mais nada do que passes. Passes para a frente, passes para trás, passes para o lado. Passes, é o que gosta o suíço. De qualquer forma passes importantes é que foram 0! Enviou ainda um remate perigoso à baliza na primeira parte que passou por cima.

Sead Kolasinac: 4
Passou ao lado do jogo.

Mesut Özil: 3
Playmaker who? Onde estávamos reunidos ouvimos alguém dizer: "é para isto que querem o Özil?". E se calhar têm razão. Nunca conseguiu construir jogo nem trouxe de nada ao Arsenal desta final europeia. Conseguiu ainda a proeza de sair a passo quando a equipa estava a perder. Assim será difícil justificar a sua continuidade no Emirates.

Alexandre Lacazette: 5
Talvez tenha ficado uma grande penalidade por marcar sobre ele na grande primeira parte. Foi isso.

Pierre-Emerick Aubameyang: 5
Não foi a sua noite claramente, mas viu-se obrigado em tarefas de construção de jogo quando a sua equipa tinha um Mesut Özil em campo. Assim fica ainda mais difícil.

Alex Iwobi: 7
Quando Iwobi é o melhor em campo já demonstra muito do que foi o jogo do Arsenal. Bom golo fora da área que pode ter ainda dado, por alguns minutos uma réstia de esperança a alguns adeptos. Criou ainda algumas oportunidades.

Mattéo Guendouzi: 5
A sua entrada em campo não trouxe nada ao jogo.

Joe Willock: 6
Entrou para o lugar de Özil e fez mais em 13 minutos do que o alemão em 77. Teve ainda a oportunidade de poder marcar, mas a culpa não é de um rapaz de 19 anos.


HIGHLIGHTS

Sem comentários