Com tecnologia do Blogger.

Arsenal 1-1 Wolverhampton - Report



O Arsenal somou o seu 16º jogo sem perder, mas também o terceiro seguido para o campeonato sem vencer. Gunners e Wolves empataram a uma bola este domingo no Emirates, não aproveitando assim o Arsenal para se aproximar dos lugares de top-4.

Num jogo em que tudo saiu mal à nossa equipa, o Wolverhampton chegou à vantagem logo aos 13 minutos por Ivan Cavaleiro. O Arsenal esteve completamente adormecido na primeira parte e procurou ir atrás do prejuízo no segundo tempo, mas tudo não saía como pretendido. O golo acabou por surgir, de forma esquisita, aos 86 minutos por Henrikh Mkhitaryan e que serviu para dar um ponto a cada clube.


Arsenal: Leno, Bellerín, Mustafi, Holding, Kolasinac, Torreira, Xhaka, Iwobi, Özil, Aubameyang, Lacazette
Subs: Cech, Sokratis, Guendouzi, Maitland-Niles, Ramsey, Mkhitaryan, Nketiah

Wolverhampton: Patrício, Bennett, Coady, Boly, Doherty, Moutinho, Neves, Castro, Costa, Cavaleiro, Jiménez
Subs: Ruddy, Dendoncker, Vinagre, Gibbs-White, Saiss, Jota, Traoré


Unai Emery tentava regressar às vitórias na Premier League e por isso lançou aquele que está próximo de ser o onze titular mais forte do Arsenal. Muitas mudanças relativamente à equipa que tinha actuado na quinta-feira frente ao Sporting, com a surpresa a passar pela titularidade de Rob Holding em detrimento de Sokratis.

O Arsenal começou o jogo a dominar a posse de bola mas foi o Wolverhampton a inaugurar o marcador aos 13 minutos por Ivan Cavaleiro. Numa perda de bola terrível de Granit Xhaka, Ivan Cavaleiro aproveitou para conduzir o ataque, combinar com Raul Jiménez e inaugurar o marcador no Emirates. Surpresa no estádio do Arsenal, mas toda a gente sabia que ainda havia muito tempo para se jogar.



Os Gunners apresentavam-se desinspirados neste jogo e prova disso foi que a tentativa de empatar o resultado surgiu aos 21 minutos, mas com os sucessivos remates dos jogadores do Arsenal a baterem na muralha defensiva da equipa de Nuno Espírito Santo.

Na resposta o Wolverhampton apareceu com muito perigo na área do Arsenal, mas Bernd Leno mostrou o porquê de ser o titular da baliza. Hélder Costa correu mais de meio-campo com a bola e de frente para Leno obrigou o guarda-redes alemão a uma grande mancha. Defendeu ainda a recarga de Jiménez e acabou lesionado e a necessitar de uns segundos para recuperar.

Aos 26 minutos o Wolverhampton foi a equipa que voltou aparecer com mais perigo. Hélder Costa remata fora da área e obriga Leno a uma defesa em voo para evitar o golo do jogador português. O Arsenal dominava a posse de bola mas não conseguia chegar com perigo à área adversária.

O intervalo chegou para acabar com um primeiro tempo sem qualquer interesse para os Gunners e o Arsenal conseguia dar mais 45 minutos de avanço a um adversário nesta temporada. O resultado no marcador até era justo porque apesar de ter menos bola, foi sempre o Wolverhampton que criou perigo na primeira parte.

Emery não perdeu tempo em mexer no jogo e ao intervalo deixou ficar Alex Iwobi no balneário para lançar Mattéo Guendouzi no jogo. No entanto a reacção do Arsenal tardava em surgir e o primeiro lance de perigo surgiu apenas aos 60 minutos, quando num míssil fora da área de Lucas Torreira, Rui Patrício fez uma grande defesa para canto.

O Arsenal procurava chegar ao empate e aos 70 minutos é Héctor Bellerín que teve uma boa oportunidade para marcar. Cruzamento na esquerda junto à linha de fundo de Xhaka e o lateral direito espanhol aparece sozinho na área de primeira a rematar. No entanto o seu pé esquerdo não é o melhor e viu os seus esforços a passarem por cima da barra da baliza de Patrício.

A equipa parecia querer reagir e dois minutos depois esteve muito perto do golo, caso não fosse o poste a evitar. Xhaka na esquerda colocou à entrada da área em Torreira, o uruguaio colocou na direita para Bellerín que cruzou para a entrada da pequena área. Aubameyang apareceu para desviar, mas viu a bola a bater no ferro ao segundo poste e levou o Emirates Stadium ao desespero.

O Arsenal era quem procurava o golo mas o Wolverhampton esteve muito perto do 0-2 aos 83 minutos. Jiménez na direita cruzou rasteiro na área e apareceu Jota para desviar para o fundo da baliza. No entanto Leno chamado a intervir fez mais uma excelente intervenção e evitou o segundo golo da equipa adversária.

Aos 86 minutos o Arsenal chega ao empate. Primeiro Ramsey, a passe de Guendouzi, apareceu à entrada da pequena área, rodopiou e obrigou Patrício a uma excelente defesa para canto. Na sequência desse canto Mkhitaryan tentou o cruzamento para a área mas viu a bola a entrar direta na baliza do Wolves. 1-1 no marcador e jogo novamente lançado no Emirates!



Já em tempo de compensação foi o Wolves que voltou a ficar perto de marcar e Leno voltou aparecer em destaque para apagar mais um incêndio! O guarda-redes alemão era o bombeiro de serviço no Emirates. Perda de bola no ataque do Arsenal com os jogadores a pedirem falta e a defesa do Wolverhampton aproveitou para bombear a bola para a frente. Traoré em corrida deixou Holding para trás e quando foi para rematar já tinha Leno em cima de si para tapar todos os caminhos para a baliza. Excepcional o guarda-redes alemão dos Gunners!

Já quando toda a gente esperava pelo final do encontro o Wolves está novamente perto do 1-2. Jogada muito idêntica à anterior. Perda de bola no ataque do Arsenal e Traoré novamente a conduzir o contra-ataque pela direita. Desta vez o jogador do Wolverhampton coloca a bola para trás onde fora da área Gibbs-White faz um remate colocadíssimo à baliza de Leno e a barra evitou a derrota do Arsenal. Muita sorte para os Gunners.

Era um final de jogo impróprio para cardíacos e o árbitro apitaria pela última vez pouco depois. O Arsenal não aproveitou o deslize do Chelsea que havia empatado antes com o Everton e atrasa-se na corrida pelo top-4.



O campeonato faz agora uma paragem para compromissos internacionais, com os Gunners a regressarem à acção apenas no dia 25 de Novembro quando se deslocarem ao Vitality Stadium para defrontar o Bournemouth.


MELHOR EM CAMPO: Bernd Leno
O guarda-redes do Arsenal fez um punhado de excelentes defesas que evitaram um resultado ainda pior que o de hoje. O Arsenal teve constantemente a bola e o Wolverhampton cada vez que aparecia era em contra-ataques perigosos em que Leno sempre conseguiu resolver. Quando não conseguiu esteve lá o ferro para ajudar.

Sem comentários