Com tecnologia do Blogger.

A despedida de Arsène Wenger



Arsène Wenger foi premiado com o troféu dourado dos "The Invincibles", conquistado em 2004, na sua despedida do Emirates Stadium, na cerimónia que decorreu no final do jogo com o Burnley no último domingo.

O treinador de 68 anos vai sair no final da actual temporada ao fim de 22 anos de serviço no Arsenal, tendo sido o jogo do passado fim-de-semana o último a realizar em casa. No discurso de despedida fez questão de pedir aos adeptos que continuem apoiar a equipa na sua ausência.

E as emoções estiveram em alta no Emirates, com a presença de várias antigos jogadores como, Robert Pires, Sol Campbell, Freddie Ljungberg, Emmanuel Petit, William Gallas ou Jens Lehmann. Actuais e antigos elementos do plantel dos Gunners fizeram questão de marcar presença no tributo ao treinador francês.

Mas foram os antigos membros do staff do Wenger a abrir a cerimónia, que já tinha sido marcada pela guarda de honra feita ao francês pelo plantel do Arsenal, do Burnley e ainda da equipa de arbitragem antes do inicio do jogo. O antigo adjunto Pat Rice e o antigo treinador de guarda-redes Bob Wilson fizeram o discurso de abertura oferecendo o troféu "The Invincibles" ao treinador.

"Ele mudou a face do futebol neste país", discursou Bob Wilson. "Este é o Arsène Wenger, o melhor treinador que já tivemos".

Uma vez chamado ao relvado, Wenger tinha pedido que as celebrações fossem minimalistas, pegou no microfone para discursar. E começou por demonstrar, uma vez mais, a sua classe ao desejar as melhoras ao antigo companheiro e rival Alex Ferguson que está internado de urgência com uma hemorragia cerebral.

Com o dono do clube, Stan Kroenke, a assistir nas bancadas, Wenger fez um discurso curto agradecendo aos adeptos pelo apoio que teve durante tantos anos.

"Obrigado por me apoiarem durante tanto tempo. Sei que não foi fácil, mas acima de tudo sou como vocês - um adepto do Arsenal".

"Isso significa que é mais do que assistir futebol. É uma forma de vida. É tomar conta da beleza do jogo, dos nossos valores. É algo que corre todo o nosso corpo, passando por todas as células de nós".

"Gostaria de agradecer a toda a gente do clube, que o torna tão especial. Continuem apoiar todos os jogadores e o staff que se mantém".

"Para mim este é um grupo de jogadores que tem uma qualidade especial, não apenas no relvado mas também fora dele. Continuem a seguir a equipa e a apoiá-los na próxima época pois bem merecem".

"Gostaria de terminar com uma frase simples - vou sentir a vossa falta. Espero ver-vos em breve. Adeus".

Wenger e o restante plantel iniciaram então a volta de honra ao estádio, que continuou completamente lotado, agradecer o apoio dado durante a temporada. A última temporada de Wenger ao serviço do Arsenal acaba sem qualquer troféu e com um sexto lugar na Premier League, mas os adeptos não deixaram de agradecer o profissionalismo do treinador.

Os tributos ao treinador francês começaram ainda fora do estádio, com uma grande faixa a dizer "Merci Arsène", acompanhada com a lista de troféus conquistados durante o sei reinado.

Cânticos de "There's only one Arsene Wenger" e "Arsene give us a wave" foram entoados com regularidade a partir das bancadas e a esmagadora maioria dos adeptos tinha uma t-shirt vermelha a dizer "Merci Arsène".

Foi uma festa bonita, com uma despedida bonita e que, apesar da actual má fase do clube, os adeptos não esquecem todo o trabalho realizado pelo treinador francês.

#MerciArsène

Sem comentários