Com tecnologia do Blogger.

Report: Crystal Palace 2-3 Arsenal



Arsenal: Cech, Chambers, Mustafi, Koscielny, Bellerín, Xhaka, Wilshere, Kolasinac, Özil, Sanchez, Lacazette
Subs: Ospina, Holding, Maitland-Niles, Iwobi, Coquelin, Welbeck, Walcott

Crystal Palace: Speroni, Kelly, Tomkins, Dann, Schlupp, Townsend, Cabaye, Milivojević, Loftus-Cheek, Zaha, Benteke
Subs: Hennessey, van Aanholt, Riedewald, Fosu-Mensah, McArthur, Puncheon, Sako


Depois do empate a três bolas com o Liverpool, o Arsenal voltou a brincar com o fogo. Na deslocação ao terreno do Crystal Palace, os Gunners bateram a equipa da casa por 2-3, com um final de partida impróprio para cardíacos. Valeu Alexis, que nos momentos de maior aperto deu tranquilidade (e dois golos) à equipa. Os lugares de Liga dos Campeões voltam a estar mais perto...

Foi uma primeira parte de sentido único no Selhurst Park. O Arsenal entrou forte, impondo a sua forma de jogar, perante um adversário amorfo e sem capacidade para reagir. Havia intenção numa ou noutra transição da equipa caseira, mas o golo acabou mesmo por acontecer para os Gunners, que eram a equipa mais criativa e objetiva em termos ofensivos. Lacazette tentou a sua sorte com um remate cruzado, o guardião do Palace defendeu para a frente, Mustafi empurrou para dentro da baliza. Havia justiça no marcador, aquando do apito do árbitro para o intervalo.

No segundo tempo o filme mudou. O Crystal Palace apareceu mais forte, mais intenso, mais pressionante, e o Arsenal, durante os primeiros quinze minutos da etapa complementar, apareceu sem chama atacante, aquela que tanta mossa tinha criado no primeiro tempo. Townsend empatou com naturalidade, mas faltava aparecer a grande figura da partida. Em quatro minutos, Alexis, decidiu a partida. Respondeu da melhor forma, com um remate cruzado, a uma assistência de Lacazette; foi imperial a finalizar uma assistência de grande nível de Wilshere.

Só que havia mais... O Crystal Palace não foi abaixo com a desvantagem de dois golos, obrigando o Arsenal a jogar nos seus últimos trinta metros durante os últimos quinze minutos da partida. O golo da esperança surgiu por Tomkins, na sequência de um canto, ainda antes do minuto 90, mas já não havia tempo para mais. Os três voaram para o Emirates.

O Arsenal prepara agora a deslocação ao terreno do West Bromwich no próximo domingo, às 16h30.


Melhor do Arsenal: Alexis Sanchez (9.2/10)

Sem comentários