Com tecnologia do Blogger.

Report: Manchester City 3-1 Arsenal



O Arsenal foi incapaz de contrariar o favoritismo do Manchester City e saiu esta tarde derrotado do Etihad Stadium por três bolas a uma.

Kevin De Bruyne abriu a contagem aos 19 minutos num remate à entrada da área e Sergio Aguero fez o 2-0 na marcação de uma grande penalidade aos 50 minutos. Alexandre Lacazette, que havia entrado no decorrer do segundo tempo, ainda reduziu para 2-1, mas os Citizens haviam de colocar a vantagem no marcador novamente em dois golos, quando Gabriel Jesus fez o 3-1 final.


Arsenal: Cech, Koscielny, Coquelin, Monreal, Bellerín, Ramsey, Xhaka, Kolasinac, Özil, Iwobi, Alexis
Subs: Macey, Debuchy, Elneny, Wilshere, Giroud, Lacazette, Walcott


Manchester City: Ederson, Walker, Stones, Otamendi, Delph, De Bruyne, Fernandinho, D Silva, Sterling, Sané, Aguero
Subs: Bravo, Mangala, Danilo, Touré, B Silva, Gundogan, Jesus


A novidade para jogo passou pela inclusão de Francis Coquelin no onze titular, quando à partida se esperaria a titularidade do capitão Per Mertesacker. Também surpreendeu que Arsène Wenger colocasse Alexandre Lacazette no banco de suplentes, colocando Alexis Sanchez como jogador mais ofensivo do ataque dos Gunners.

A equipa da casa ficou na frente do marcador aos 19 minutos, graças ao golo de Kevin De Bruyne. O jogador belga rematou à entrada da área depois de uma combinação com Fernandinho, não dando hipóteses a Petr Cech, que 30 segundos antes já havia defendido um primeiro remate do jogador belga.

O Manchester City continuou a mostrar que estava melhor e a pressionar a defesa dos Gunners. Sterling esteve muito perto de aumentar a vantagem quando não conseguiu desviar a bola para o fundo da baliza em cima da linha de golo e depois, numa outra jogada de perigo foi Laurent Koscielny que ia fazendo um auto-golo.

A melhor oportunidade do primeiro tempo do Arsenal foi um remate de Aaron Ramsey já em tempo de compensação, mas o guarda-redes brasileiro Ederson negou as intenções do médio galês. Por isso, a vantagem da equipa da casa justificava-se no período de descanso.

Com apenas cinco minutos decorridos na segunda-parte, a equipa da casa chega ao 2-0 na marcação de uma grande penalidade a castigar uma falta muito duvidosa de Nacho Monreal sobre Raheem Sterling. Aguero chamado a converter não desperdiçou (mais uma grande penalidade não defendida por Petr Cech. Já vão em quantas?).

Alexandre Lacazette ainda deu esperanças à nossa equipa, quando nove minutos depois de ter entrado em campo reduziu para 2-1. Servido por Ramsey, o avançado francês dos Gunners rematou cruzado rasteiro e não deu hipóteses ao guarda-redes do Manchester City.

No entanto a equipa da casa acabaria por matar o jogo em mais um golo muito duvidoso. Gabriel Jesus, em posição irregular, foi servido por Fernandinho, que também estava fora-de-jogo, e rematou à entrada da pequena-área sem oposição para o fundo da baliza. Os jogadores do Arsenal tinham ficado parados a pedir o primeiro fora-de-jogo e esqueceram-se completamente que o jogo ainda estava a decorrer.

Com este resultado o Arsenal caiu para a sexta-posição, ficando a 12 pontos do líder City, que tem 10 vitórias em 11 jogos.

O Arsenal continua com grandes dificuldades em vencer os rivais diretos fora do Emirates, com a última vitória a ser no Etihad há quase três anos atrás. Provavelmente isso explica o porquê de tantas dificuldades em lutar pelo título na Premier League que escapa desde 2004.

Sem comentários