Com tecnologia do Blogger.

Theo Walcott não muda



O desempenho de Theo Walcott na estreia do Arsenal na Liga Europa voltou a ser alvo de muitas críticas.

O internacional inglês está no Arsenal desde 2006 e é jogador profissional há 12 anos. Durante muito tempo as pessoas falavam dele como uma grande promessa para o futebol. No entanto existe já a sensação, apoiada por muitos maus desempenhos, que todas as promessas envoltas de Walcott foram em vão.

Existe uma sensação irritante que ele é mais um atleta do que um jogador de futebol. É alguém que é extremamente rápido que de alguma forma acabou por se tornar num jogador de futebol, enquanto devia ser um futebolista que acabou por ser bastante rápido.

Walcott como jogador comete bastantes erros. Joga a olhar para o chão, faz muitos remates sem sentido, não consegue ter um bom primeiro toque de bola e toma muitas más decisões durante os jogos, para além de passar a vida a ser apanhado em fora-de-jogo.

Em 2010 quando Walcott não foi convocado pela seleção inglesa para o mundial de 2010 na África do Sul, o comentador inglês Chris Waddle considerou que faltava "cérebro futebolístico" ao jogador.

Ele joga há bastante tempo no Arsenal, rodeado por jogadores fantásticos e com vários jovens de valor da sua geração. Ele nunca se conseguiu afirmar com a camisola do Arsenal. Não tenho nada contra o rapaz. Apenas para mim não é novidade que ele não esteja no avião com o resto dos jogadores. Olho para ele e dá a entender que ele não percebe o jogo à sua volta.

Podem parecer afirmações duras, mas sete anos mais tarde não parece ter mudado nada para Walcott, excepto que tem cada vez menos espaço no plantel do Arsenal. O extremo fez esta quinta-feira o seu primeiro jogo oficial a titular da temporada e o seu desempenho na vitória por 3-1 frente ao Colónia foi terrível.

Talvez por ser o seu primeiro jogo a titular da época poderia estar um pouco enferrujado, mas o seu desempenho em campo nada foi condizente com alguém que pretende lutar por um lugar no onze titular. Para se ter uma ideia, Walcott em 83 minutos tocou menos vezes na bola do que Sead Kolasinac que apenas entrou ao intervalo. Perdeu várias bolas, foi apanhado inúmeras vezes em fora-de-jogo, não conseguiu ter qualquer ligação ao jogo e passou completamente ao lado de tudo.

Não é por isso de admirar que os adeptos estejam cada vez mais fartos de Theo Walcott e vejam com bons olhos a sua saída do clube.

Por Joe UK

Sem comentários